É possível usar memória RAM de marcas diferentes no PC? Veja!

O ritmo acelerado das inovações tecnológicas leva à necessidade de computadores cada vez mais potentes na rotina diária das empresas e profissionais. A boa notícia é que isso não significa ter que adquirir uma nova máquina — é possível melhorar o desempenho das já existentes ao adicionar alguns componentes. Mas será que usar memória RAM de marcas diferentes causa algum problema?

Neste post, você vai entender o que é a memória RAM e como fazer o upgrade da forma adequada. Siga a leitura e confira!

Afinal, o que é a memória RAM de um computador?

A memória RAM (Random Acess Memory) nada mais é do que o espaço temporário responsável pela leitura das informações necessárias para execução do sistema operacional, bem como de aplicativos que estiverem em uso. 

Assim, após a conclusão das tarefas os arquivos contidos neste componente são movidos para um local de armazenamento definitivo — HD ou SSD —, e então ela é zerada.

Como novas tarefas e aplicações são requisitadas a todo momento no sistema, a RAM torna-se uma peça-chave para garantir a fluidez da operação simultânea com múltiplas funcionalidades, sem que nenhum dado relevante seja perdido durante o processo.

É possível utilizar memórias RAM de marcas e frequências diferentes? 

Sim. O uso de diferentes marcas para estender a capacidade de uma memória RAM, sem que isso represente nenhum risco de dano ao computador. A grande questão é quando são instalados módulos de configurações muito distintas. 

Memórias com frequências diferentes, por exemplo, aumentam as chances de falhas. Se a nova RAM tem uma tecnologia diferente da placa-mãe, essas incompatibilidades prejudicam a performance da máquina ao longo do tempo.

Outro erro bastante comum em relação à frequência está ligado ao quesito velocidade. Muitas pessoas acreditam que ao adicionar o módulo mais potente o computador vai ficar mais veloz. No entanto, o que vai prevalecer é sempre a menor frequência.

Se seu PC possui uma memória RAM de 667 MHz, e for acrescido um módulo de 1066 MHz, ainda que elas sejam da mesma marca, vão funcionar na frequência de 667 MHz. Por outro lado, se a memória RAM de fábrica é de 1066 MHz, e o usuário adiciona uma de 667 MHz, o computador autuará na menor velocidade. 

Como fazer um upgrade de memória de forma adequada?

O primeiro fator relevante ao se pensar em um upgrade de memórias é optar por módulos que apresentem a mesma tecnologia de funcionamento. Portanto, antes de comprar pentes de RAM, é preciso se informar sobre essas especificações, sobretudo no que diz respeito à placa-mãe e aos módulos já instalados.

Além disso, também é indispensável verificar pontos como frequência, latência e tensão. Isso garantirá que você vai usufruir o máximo de potência que o computador oferece. Ainda, evita o investimento em ferramentas que podem não gerar os resultados esperados.

Lembre-se de que contar com o auxílio de uma empresa especializada contribui bastante para as escolhas mais acertadas.

Por todo o exposto, podemos concluir que usar memória RAM de marcas diferentes é uma ação plenamente possível, desde que elas tenham a mesma configuração. Embora a discrepância nas especificações dos módulos não implique problemas graves imediatos, ao longo do tempo, esses componentes podem prejudicar o bom funcionamento da máquina — a operação contínua fora dos padrões de fábrica reduz a vida útil das peças.

Gostou do artigo? Agora que você já sabe qual a melhor forma de turbinar a memória RAM do seu PC, que tal ficar por dentro de todas as novidades em tecnologia? É só assinar nossa newsletter!

Receba nossas dicas gratuitamente em seu e-mail! Assine agora!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.